domingo, abril 22, 2007

Bela & o Mestre - Gabriel o Pensador

E viva a TVI que nos dá mais uma pérola de excelente televisão...

Tenho que ser sincero e dizer que até hoje vi mesmo mto pouco deste programa, mas não há pachorra...

Quem me conhece sabe que a coisa que mais odeio, que mais me irrita, que me consegue tirar do sério de um momento para o outro é a burrice, gente burra... prefiro um mentiroso que um burro, pq para mentir e levar a mentira pra frente é preciso arte e inteligência.

Como digo mtas vezes, considero a TVI a televisão dos sub-desenvolvidos, não que esteja para aqui armado aos pingarelhos a dizer que "eu é que sou", mas uma tv que só dá programas de merda como este, como as 1as companhias, e os BB dos famosos e as telenovelas merdosas todas com nomes de titulos de musicas pimba e que são todas iguais umas às outras e com os mm actores... esta estação já foi a minha preferida há uns valentes anos atras, quando dava filmes e séries de jeito todos os dias, agora tb vai dando qq coisa mas é às 3 e 4 da manhã!
Basicamente dá aquilo que tristemente o povo quer ver, o que revela mto do nosso progresso mental da nossa nação...

Bem, mas voltando ao principio, o pouco que vi deste programa, foi umas raparigas que supostamente são belas (umas mais que outras, mas mm assim nada de fantastico) e que são burras que nem uma porta e isso pude confirmar...

São tão burras que não consigo acreditar naquilo, eu sinceramente acho que elas fazem aquilo de proposito para tentar dar alguma piada ao programa, mas aquilo é mm triste...
Nem me vou alongar mto mais, deixo aqui duas musicas de um tipo brasileiro que eu acho simplesmente genial, adoro o trabalho dele, as letras são geniais e estas duas refletem o que penso sobre este programa e do papel destas "Belas" e o lindo serviço que prestam às mulheres!!

(felizmente que a maioria das mulheres não é assim, se é que podemos chamar aquilo de mulheres)

Música: LôraBúrra
Banda : Gabriel o Pensador
Albúm : Gabriel o Pensador
Ano : 1993

(a qualidade do video não é a melhor mas infelizmente foi o unico que arranjei)


Existem mulheres que são uma beleza
Mas quando abrem a boca
Hmm que tristeza!
Não não é o seu hálito que apodrece o ar
O problema é o que elas falam que não dá pra agüentar
Nada na cabeça
Personalidade fraca
Tem a feminilidade e a sensualidade de uma vaca
Produzidas com roupinhas da estação
Que viram no anúncio da televisão
Milhões de pessoas transitam pelas ruas mas conhecemos facilmente esse tipo de perua
Bundinha empinada pra mostrar que é bonita
E a cabeça parafinada pra ficar igual paquita

Lôrabúrra!

Elas estão em toda parte do meu Rio de Janeiro
E às vezes me interrogo se elas tão no mundo inteiro
À procura de carros
À procura de dinheiro
O lugar dessas cadelas era mesmo no puteiro
Só se preocupam em chamar a atenção
Não pelas idéias mas pelo burrão
Não pensam em nada
Só querem badalar
Estar na moda tirar onda beber e fumar
Cadelinhas de boate ou ratinhas de praia
Apenas os otários aturam a sua laia
E enquanto o playboy te dá dinheiro e atenção
Eu só saio com você se for pra ser o Ricardão

Lôrabúrra!

Não eu não sou machista
Exigente talvez
Mas eu quero mulheres inteligentes
Não vocês
Vocês são o mais puro retrato da falsidade
Desculpa amor
Mas eu prefiro mulher de verdade
Você é medíocre e ainda sim orgulhosa
É mole?
Não tá com nada e tá prosa
E o seu jeito forçado de falar é deprimente
Já entendi seu problema
Vocês tão muito carentes
Mas eu só vou te usar
Você não é nada pra mim
(Hmm meu amor
Foi bom pra você?)
...Ah deixa eu dormir
Pra que dar atenção pra quem não sabe conversar?
Pra falar sobre o tempo ou sobre como estava o mar? Não
Eu prefiro dormir
Sai daqui
Eu já fui bem claro mas vou repetir
E pra voce me entender vou ser ate mais direto:
Lôrabúrra, cê não passa de mulher-objeto

Lôrabúrra!

Escravas da moda vocês são todas iguais
Cabelos, sorrisos e gestos artificiais
idéias banais e como dizem os Racionais:
(Mulheres vulgares
Uma noite e nada mais)
Lôrabúrra você e vulgar sim
Seus valores são deturpados você é leviana
Pensa que está com tudo mas se engana em sua frágil cabecinha de porcelana
A sua filosofia é ser bonita e gostosa
Fora disso é uma sebosa tapada e preconceituosa
Seus lindos peitos não merecem respeito
Marionetes alienadas vocês não têm jeito
Eu não sou agressivo
Contundente talvez
O Pensador dá valor às mulheres
Mas não vocês
Vocês são o mais puro retrato da falsidade
Desculpa amor
Mas eu prefiro mulher de verdade

Lôrabúrra!

É o problema não tá no cabelo
Tá na cabeca
Não se esqueça
Nem todas são sócias da farmácia (Lorácia)
Tem muita Lôrabúrra de cabelo preto e castanho por aí
É... Lôrabúrra morena, ruiva, preta...
Lôrabúrra careca
E tem a Lôrabúrra natural também (Loraça belzebúrra)
Cada Lôrabúrra é de um jeito mas todas sao iguais
Cê tá me entendendo?
(Eu gosto é de mulher)

Lôrabúrra!


Música: Nádegas a Declarar
Banda : Gabriel o Pensador com Fernanda Abreu
Albúm : Nádegas a Declarar
Ano : 1999

(este video tem alguns cortes na música)


Ordem e progresso, sua bunda é um sucesso
Nádegas a declarar, nádegas a declarar
Nádegas a declarar? Claro que não!
Eu tenho opinião nesse papo de bundão
E vou dizer, mas primeiro você, Fernanda
Primeiro as damas, o que que cê manda?
Aí, Gabriel, vou logo deixar claro, não é lição de moral
Todo mundo tá sabendo que sambra é tropical
No país do futebol e carnaval
Mexer essa bundinha até que é natural
No meu ponto de vista, sem quer ser feminista
A bundalização é bastante estimulada
Por essa cultura machista, cê sabe... tá cheio de porco-chauvinista
Por isso que esse papo não é só pras menininhas
É pra todos esses caras que dão força, que dão linha
No concurso, na promessa de futuro
No programa de tv e no rádio toda hora pra você

A-ahá! Arrebita a rabeta!
A-ahá! E me diz, meu bem, o que mais que você tem?
A-ahá! Arrebita bem a bunda, vagabunda, que a bunda é tudo de bom que você tem

O que que você tem de bom além do bumbum?
Um talento, algum dom?
Ou as suas qualidades estão limitadas ao balanço dessa bunda arrebitada?
O que que você tem além da bunda?
Pense bem que a pergunta é profunda
Não, não é isso menina!
Eu não tô falando da sua virilha
Que deve ser uma maravilha
Mas seu cérebro é menor do que um caroço de ervilha
Ô minha filha, acorda pra vida!
A sua bunda tá em cima, mas sua moral tá caída
A dignidade tá em baixa
Você só rebola, só rebola, rebola e se rebaixa
E se encaixa no velho perfil:
Mulher objecto em pleno ano dois mil
E um, e dois, e três
Sempre tem alguém pra ser a bunda da vez
Te chamam de celebridade e você acredita
Enche o rabo de vaidade e arrebita

Você tira até retrato três por quatro de costas
Pensa com a bunda e quando abre a boca só sai bos...
Talvez você nem seja tão piranha
Mas qualquer concurso miss bumbum que tem você se assanha
A-ahá! E tira foto fazendo pose de garupa de moto
A-ahá! Vai sair na revista e o povo vai dizer que você é artista
Porque agora bunda, é cultura, é esporte
É até filosofia, quase uma religião
E se você tiver sorte pode ser seu passaporte para a fama
Ou pra cama, pode ser seu ganha-pão
Bunda conhecida, bunda milionária
Bonitinha mas ordinária
Que nem otária na tv, de perna aberta
Queima o filme das mulheres e se acha muito esperta
Vai, vai lá, vai entrar na dança, vai usar a poupança
Vai ficar orgulhosa sem saber o mau exemplo que tá dando pras crianças
Adolescentes, adultas e adultos retardados
Que idolatram um simples rebolado
(Bando de bundão!!) aplaudindo a atração


Ai, nádegas a declarar
Lombo ambulante, burrão ignorante!
Sua bunda é alucinante
A rabeta arrebenta mas beleza não é tudo
Além da forma tem que ter conteúdo
Senão você se torna descartável
Que nem uma boneca inflável
Então encare a realidade com o seu olho da frente
E veja a vida de uma forma diferente
Porque uma mulher decente
Pode ser muito mais atraente que uma bunda sorridente
Então, garota sangue bom
Se liga na missão, se liga nesse toque
Ser ou não ser, eis a questão
A vida é bem mais que um número no Ibope
Deixe a sua mente bem ligada ou vai ficar injuriada
Reclamando que não é valorizada
Pára pra pensar, bota a bunda no lugar
E a cabeça pra funcionar

Solta essa bundinha, solta o verso
Solta a rima minha filha, solta o verbo na cara do Brasil
Que atrás de você virão mais de mil
Eu também não sou chegado em celulite
Mas eu vou te dar um palpite, exercite a tua mente
E não se irrite se eu tô sendo muito franco
Mas atualmente ela só pega no tranco
Amanhã você vai olhar pra trás
E vai ver que o seu colã já não entra mais
Vai querer fazer uma lipo, vai querer meter "silico"
E vai continuar pagando mico

Ordem e progresso, sua bunda é um sucesso
Nádegas a declarar, nádegas a declarar...

2 comentários:

black cat disse...

GOSTEI! :-)
O teu post é mais arrasador que o meu, pois levas tudo à frente, estação de televisão incluída!
Em relação ao assunto, só tenho uma coisa a dizer: ainda bem que não sou Bela! :-)
A beleza "fades away". A inteligência não...

velvetsatine disse...

As letras são curiosas! :D

Talvez seja impressão minha mas sempre pensei que este fosse o estilo preferido da maioria dos homens. Tu pelos vistos és excepção. :P

I drink to that as well, Black Cat. Ainda bem que não sou Bela! :D